O que é a
Candidíase
Vaginal?

A candidíase vaginal,

É a doença genital mais comum

Entre as mulheres!

A Candidíase Vaginal é uma infeção vaginal causada por um fungo do género Cândida, mais conhecida por Candida Albicans. O fungo que causa a doença faz parte da flora vaginal saudável e encontra-se presente no organismo da mulher em pequenas quantidades.

Porém, se o organismo se encontra debilitado, devido a stress ou baixa imunidade, ou outros motivos, os fungos proliferam e podem causar a infeção. Como a região genital feminina é quente e húmida, a propagação do fungo torna-se mais fácil. No entanto, é importante lembrar que a Candidíase não é uma doença sexualmente transmissível.

Apesar de ser desagradável, com o tratamento apropriado, a Candidíase pode ser tratada de uma forma simples.

Ardor, Comichão,

Dor durante a relação sexual

A candidíase vaginal manifesta-se por:
Corrimento vaginal esbranquiçado;
Ardor, comichão na vagina, vulva e zonas adjacentes;
Rubor (vermelhidão) da vagina, vulva e zonas adjacentes;
Dor/desconforto na vagina e vulva;

Habitualmente verifica-se um agravamento antes da menstruação.

Cerca de 75% das mulheres terão pelo menos um episódio de vaginite fúngica na sua vida e 40-45% terão dois ou mais. 10 a 20% são portadoras assintomáticas, sendo que na gravidez pode atingir os 40%.

Uma vez por dia - ao deitar,

7 dias consecutivos

O creme vaginal deve aplicar-se introduzindo o aplicador com creme vaginal, o mais profundamente possível na vagina (de preferência deitada de costas e com as pernas fletidas), uma vez por dia, ao deitar, durante 7 dias consecutivos.

Quando a comichão na vulva é intensa, a aplicação tópica de hidrocortisona em creme dá um alívio sintomático mais rápido.

Nas candidíases recorrentes 30-40% regridem após tratamento prolongado. Nestas, o tratamento do parceiro sexual é discutível e é recomendada a dupla abordagem terapêutica (oral e tópica).

Como prevenir

a candidíase vaginal?

Usar roupa interior de algodão sem fibra, evitar calças e collants muito apertados.
Usar produtos adequados à higiene íntima diária sem químicos ou perfumes.
Reduzir a ingestão de alimentos e bebidas com açúcar.
Ao tomar medicação como antibiótico, deves aconselhar-te com o teu médico sobre as medidas a tomar.
Ao frequentar piscinas e praias, mudar de fato de banho se este estiver húmido.

Higiene Íntima

Limpeza suave com água corrente, com movimentos para fora da região vulvar, de preferência no duche, com atenção aos sulcos e pregas, durante 2 a 3 minutos.
Frequência: 1 a 3 vezes ao dia conforme clima, biótipo, atividade física e patologia associada.
Tipo de produto – preferencialmente líquido, apropriados para a higiene anogenital, com pH entre 4,2 a 5,6.
Secar cuidadosamente com toalhas secas e limpas, sem agressão.
Não fazer banhos de assento sem recomendação médica.
Não usar sprays, perfumes, talcos ou lenços humedecidos.
A vulva deve ser hidratada como as demais áreas do corpo. Em caso de secura, recomenda-se a hidratação vaginal com produtos de base aquosa e pH ácido.

FAQ

A comichão é sempre sinal de Candidíase vaginal?
A probabilidade é muito elevada, no entanto, se é a primeira vez que te deparas com este sintoma, consulta o teu médico e/ou farmacêutico.

Por que razão aparece a Candidíase vaginal?
A Candidíase vaginal pode surgir devido a vários fatores: toma de antibióticos ou contracetivos; gravidez; diabetes; menstruação…

A Candidíase vaginal é sexualmente transmissível?
A candidíase vaginal não é uma infeção de transmissão sexual. No entanto, se o seu parceiro tiver alguns sintomas semelhantes, deverá fazer um tratamento.

A Candidíase vaginal é recorrente?
Sim, pode ser recorrente mas pode ser evitada com alterações de hábitos de higiene e estilo de vida. Consulta o separador “Prevenção” do nosso site.

  • O que é?

    A candidíase vaginal,

    É a doença genital mais comum

    Entre as mulheres!

    A Candidíase Vaginal é uma infeção vaginal causada por um fungo do género Cândida, mais conhecida por Candida Albicans. O fungo que causa a doença faz parte da flora vaginal saudável e encontra-se presente no organismo da mulher em pequenas quantidades.

    Porém, se o organismo se encontra debilitado, devido a stress ou baixa imunidade, ou outros motivos, os fungos proliferam e podem causar a infeção. Como a região genital feminina é quente e húmida, a propagação do fungo torna-se mais fácil. No entanto, é importante lembrar que a Candidíase não é uma doença sexualmente transmissível.

    Apesar de ser desagradável, com o tratamento apropriado, a Candidíase pode ser tratada de uma forma simples.

  • Sintomas

    Ardor, Comichão

    Dor durante a relação sexual

    A candidíase vaginal manifesta-se por:
    Corrimento vaginal esbranquiçado;
    Ardor, comichão na vagina, vulva e zonas adjacentes;
    Rubor (vermelhidão) da vagina, vulva e zonas adjacentes;
    Dor/desconforto na vagina e vulva;

    Habitualmente verifica-se um agravamento antes da menstruação.

    Cerca de 75% das mulheres terão pelo menos um episódio de vaginite fúngica na sua vida e 40-45% terão dois ou mais. 10 a 20% são portadoras assintomáticas, sendo que na gravidez pode atingir os 40%.

  • Tratamento

    Uma vez por dia - ao deitar,

    7 dias consecutivos

    O creme vaginal deve aplicar-se introduzindo o aplicador com creme vaginal, o mais profundamente possível na vagina (de preferência deitada de costas e com as pernas fletidas), uma vez por dia, ao deitar, durante 7 dias consecutivos.

    Quando a comichão na vulva é intensa, a aplicação tópica de hidrocortisona em creme dá um alívio sintomático mais rápido.

    Nas candidíases recorrentes 30-40% regridem após tratamento prolongado. Nestas, o tratamento do parceiro sexual é discutível e é recomendada a dupla abordagem terapêutica (oral e tópica).

  • Prevenção

    Como prevenir

    a candidíase vaginal?

    Usar roupa interior de algodão sem fibra, evitar calças e collants muito apertados.
    Usar produtos adequados à higiene íntima diária sem químicos ou perfumes.
    Reduzir a ingestão de alimentos e bebidas com açúcar.
    Ao tomar medicação como antibiótico, deves aconselhar-te com o teu médico sobre as medidas a tomar.
    Ao frequentar piscinas e praias, mudar de fato de banho se este estiver húmido.

  • Higiene íntima

    Higiene Íntima

    Limpeza suave com água corrente, com movimentos para fora da região vulvar, de preferência no duche, com atenção aos sulcos e pregas, durante 2 a 3 minutos.
    Frequência: 1 a 3 vezes ao dia conforme clima, biótipo, atividade física e patologia associada.
    Tipo de produto – preferencialmente líquido, apropriados para a higiene anogenital, com pH entre 4,2 a 5,6.
    Secar cuidadosamente com toalhas secas e limpas, sem agressão.
    Não fazer banhos de assento sem recomendação médica.
    Não usar sprays, perfumes, talcos ou lenços humedecidos.
    A vulva deve ser hidratada como as demais áreas do corpo. Em caso de secura, recomenda-se a hidratação vaginal com produtos de base aquosa e pH ácido.

  • FAQ

    FAQ

    A comichão é sempre sinal de Candidíase?
    A probabilidade é muito elevada, no entanto, se é a primeira vez que te deparas com este sintoma, consulta o teu médico e/ou farmacêutico.

    Por que razão aparece a Candidíase?
    A Candidíase pode surgir devido a vários fatores: toma de antibióticos ou contracetivos; gravidez; diabetes; menstruação…

    A Candidíase vaginal é sexualmente transmissível?
    A candidíase não é uma infeção de transmissão sexual. No entanto, se o seu parceiro tiver alguns sintomas semelhantes, deverá fazer um tratamento.

    A Candidíase é recorrente?
    Sim, pode ser recorrente mas pode ser evitada com alterações de hábitos de higiene e estilo de vida. Consulta o separador “Prevenção” do nosso site.

Candiset 3 dias
Candiset 3 dias

Trata e Alivia

a candidíase vaginal em

3,2,1

Ciclo
Candiset 3 dias
Inovação no tratamento da candidíase vaginal*

O que é a candiset 3 dias®

E para que é utilizado?

Candiset 3 Dias® contém clotrimazol que é um antifúngico (medicamento utilizado para tratar infeções produzidas por fungos).

Este medicamento está indicado no tratamento da candidíase vulvovaginal não complicada (infeção vaginal produzida por um fungo chamada Candida).

Os principais sintomas são comichão acompanhada geralmente por um aumento do fluxo vaginal, dor e rubor da zona vaginal e zona vulvar, ardor e sensação de ardor ao urinar.

Estes sintomas não são específicos de uma candidíase vulvovaginal. Em caso de dúvida, consulte o seu médico.

Aplicar uma vez por dia, ao deitar, durante 3 dias seguidos
Candiset 3 dias
Candiset

Na tua Farmácia

Candiset 3 dias® 20 mg de clotrimazol/1 g de creme vaginal. Indicado no tratamento da candidíase vulvovaginal não complicada (infeção vaginal produzida por um fungo chamada Candida). Adultos e adolescentes com idade superior a 12 anos: aplicar uma dose do medicamento utilizando o aplicador vaginal (aprox. 5 g), uma vez por dia de preferência de noite, antes de se deitar, durante 3 dias consecutivos. O creme deve ser introduzido profundamente na vagina, estando a doente deitada de costas e com as pernas ligeiramente fletidas. Se os sintomas persistirem após o final do tratamento ou caso estes se repitam todos os meses ou caso sofra de problemas do sistema imunitário, infeção por VIH, SIDA ou diabetes, deve consultar o seu médico. Não deve utilizar tampões, duches intravaginais, espermicidas ou outros produtos vaginais enquanto utiliza este medicamento. Não se recomenda iniciar o tratamento durante a menstruação. O tratamento deve estar finalizado antes do início da menstruação. Não utilizar em crianças com menos de 12 anos. Não utilizar se tem alergia ao clotrimazol, imidazois em geral ou a qualquer outro componente deste medicamento. O Candiset 3 dias pode reduzir a eficácia e a segurança dos produtos de látex, como preservativos e diafragmas. Este efeito é temporário e surge apenas durante o tratamento. Recomenda-se evitar relações sexuais em caso de infeção vaginal e enquanto se utiliza este medicamento para evitar a infeção do parceiro. O álcool cetoestearílico do creme vaginal pode originar reações locais na pele (ex: dermatite de contacto). O álcool benzílico do creme vaginal pode causar reações alérgicas ou irritação local ligeira. Medicamento Não Sujeito a Receita Médica. Leia cuidadosamente as informações constantes da embalagem e do folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o seu médico ou o farmacêutico.
* vs Candiset® de 7 aplicadores.
Resumo das Características do Medicamento Candiset 3 dias® na última versão aprovada.

Candiset® 10 mg de clotrimazol/1 g de creme vaginal. Indicado no tratamento tópico das seguintes infeções fúngicas provocadas por fungos suscetíveis ao clotrimazol: Candidíase vaginal recorrente; Candidíase balânica. O creme vaginal deve aplicar-se introduzindo o aplicador com creme vaginal, o mais profundamente possível na vagina, uma vez por dia, ao deitar, durante 7 dias consecutivos. Ao proceder-se à aplicação dever-se-á utilizar, de preferência, a posição de decúbito dorsal, com as pernas ligeiramente fletidas. Para a terapêutica da Candidíase balânica do parceiro sexual, aplicar uma tira de creme de cerca de ½ cm de comprimento, 2-3 vezes por dia, em camada fina nas zonas afetadas (glande e prepúcio) friccionando em seguida. O período normal de tratamento é de 1-2 semanas. Contraindicado em caso de hipersensibilidade à substância ativa ou a qualquer um dos excipientes. Embora o Candiset® creme vaginal possa ser utilizado por crianças com idades inferiores a 15 anos, a utilização do aplicador vaginal está contraindicada. O creme vaginal de Candiset® pode reduzir a eficácia e a segurança de produtos à base de látex, tais como: preservativos e diafragmas. O efeito é temporário podendo prolongar-se até 5 dias após interrupção do tratamento, devendo nestas situações utilizar-se precauções alternativas. Em doentes com idades inferiores a 15 anos, deve consultar-se o médico antes de utilizar Candiset® creme vaginal. O álcool cetoestearílico do creme vaginal pode originar reações locais na pele (ex: dermatite de contacto). Medicamento Não Sujeito a Receita Médica. Leia atentamente as informações da rotulagem e o folheto informativo. Em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico.